20 de novembro de 2017

Como será a análise de cada coreografia no 16º Encontro Latino Americano de Danças


Os festivais de dança são considerados parte primordial da formação artística de todo bailarino. É onde começa sua avaliação. É um momento relevante e emocionante, quando o resultado de um trabalho construído durante todo um período pode ser apresentado para uma avaliação técnica feita por especialistas. É também uma chance única, para bailarinos e dançarinos, a interação com o palco e público. Quem vive ou já viveu esses momentos, ainda que não tenha seguido carreira na dança, deve se lembrar do gosto especial dos festivais de dança e o imaginário que eles envolvem e despertam em cada uma das etapas que vão costurando o desejo de dançar, Desde a escolha do tema, a seleção das músicas, a prova do figurino, as limpezas coreográficas exaustivas, os ensaios que parecem não ter fim, o abrir das cortinas, o frio na barriga, os acertos, as falhas e, por fim, o aplauso como reconhecimento de um trabalho.

Mas, além da beleza e da grandiosidade das apresentações da Mostra Competitiva de um festival, alguém precisa ter o olhar crítico e esquecer o lado espectador. Essa função cabe aos jurados, que observam cada detalhe das coreografias e fazem as avaliações que definem os vencedores em cada gênero e categoria. Mas além de exercer o lado crítico, os jurados também devem ser professores, pois nos dias das apresentações, eles comentam por escrito e repassam aos competidores quais foram as principais observações em relação às coreografias apresentadas. É o feedback para o trabalho apresentado, auxiliando ainda mais o desenvolvimento de cada grupo ou bailarino. Cada festival tem seu método de avaliação. 

O Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças desenvolveu o seu método de avaliação baseado em especialidades e pesos distintos para cada modalidade. A partir da nota emitida pelo jurado, um software analisa cada uma delas adicionando pesos especificados anteriormente e classificando a coreografia de acordo com sua modalidade e categoria. Isso permite que a Mostra Competitiva seja um mix de modalidades e categorias, tornando-a leve e bastante dinâmica. Assim, quatro especialistas escolhidos com muito critério, vão compor a mesa de jurados e avaliar cada coreografia nos seguintes quesitos:

ORGANIZAÇÃO COREOGRÁFICA & CRIATIVIDADE - (Peso 1)
A beleza corporal, visão, precisão, coordenação, flexibilidade, tenacidade, imaginação, criatividade e expressão será o foco avaliado deste item.
TÉCNICA - (Peso 3)
Avalia a forma técnica de se executar movimentos, facilitando a expressão corporal e o desenvolvimento coreográfico.
INTERPRETAÇÃO ARTÍSTICA & HARMONIA - (Peso 3)
Analisa a composição de formas e posições dentro de uma coreografia, avaliando o relacionamento do bailarino com a sua dança e seu poder de comunicação com o público. 
FIGURINO - (Peso 2)
O figurino é extremamente importante na composição coreográfica das danças. Cada gênero de dança pede um figurino adequado a ele. Esse quesito vai avaliar se o figurino é compatível com a dança apresentada.
PONTUALIDADE - (Peso 3)
O quesito pontualidade diz que cada grupo e/ou bailarino terá 10 segundos para entrar e se posicionar no palco e 10 segundos para sair. Esse procedimento já foi aplicado nas últimas quatro edições do Salto Fest Dance e funciona perfeitamente. Em princípio, todos as coreografias tem a nota máxima mas vale a pena ainda ressaltar que o palco deve estar limpo ao final de cada uma delas apresentada. Assim sendo, os grupos devem tomar muito cuidado além do tempos, principalmente no tocante aos desprendimentos e solturas de adereços ou partes deles usados nas coreografias. Isso pode eventualmente sujar o palco e prejudicar a pontuação. Caso isso venha a ocorrer, a Mostra Competitiva é interrompida, o palco limpo e o grupo e/ou bailarino penalizado - para cada 10 segundos de atraso, tira-se 01 (um) ponto da nota máxima fixada no quesito PONTUALIDADE.


Além desses quesitos, existe ainda um peso diferenciado para cada jurado em sua especialidade. Ou seja: quando uma coreografia de ballet clássico for julgada, as notas do jurado especialista em ballet clássico terá um peso maior (peso 3,0) sobre as notas dos outros jurados. Isso é feito automaticamente pelo software desenvolvido pela Bravo Cultural. E assim será em cada especialidade, cujos jurados fizerem parte da banca do festival.  Quando uma coreografia apresentada não tiver especialistas no corpo de jurados, haverá um jurado generalista - que tem especialização em várias modalidades. Assim, todas as coreografias terão uma análise justa e imparcial e como todos tem formação superior em danças, a avaliação das coreografias fica isenta de protecionismos e ninguém saberá antecipadamente quais foram os vencedores. Nem os jurados e nem a própria Curadoria, uma vez que a listagem só é impressa algumas horas antes o início da Noite de Gala e Premiação. 


Os prêmios de melhor bailarino(a), melhor conjunto de obras apresentadas e prêmio revelação do festival serão escolhidos diretamente pelo júri, em consenso colegiado, na última noite da Mostra Competitiva. Todos os detalhes do Salto Fest Dance 2018 - 16º Encontro Latino Americano de Danças poderão ser conferidos em cada página deste site. Ele é uma ferramenta especialmente desenvolvida para que não fique nenhum questionamento sem solução. 

16 de novembro de 2017

Bruna Nash ministrará dois workshop's no Salto Fest Dance 2018


Bruna Nash é bailarina, sapateadora e coreógrafa, também é educadora física graduada pela Faculdade FEFISO / ACM. Iniciou seus estudos em ballet clássico aos 6 anos e o aperfeiçoou com diversos professores renomados até sua formação clássica pela RAD - Royal Academy of Dance, em Londres. Especificou seu trabalho em técnicas e metodologias infantis com os professores internacionais Luiz Carlos Nogueira e Pamela Richardson.

Aos 7 anos, também deu início aos estudos de Sapateado Americano e teve como professores Yara Ramos, Charles Renato, Christiane Matallo, Luyz Baldijao, Steven Harper, Kika Sampaio, entre outros. Como mestres das Danças Urbanas (Street Dance), nada menos que Frank Ejara, Vanessa Bueno Godoy, Tatiana Sanches, Octávio Nassur e Buiú. Atualmente, é professora e coreógrafa de Ballet Clássico e Sapateado Americano na Escola de Dança Rita Camilo, em Guarulhos. Convidada especial do Salto Fest Dance 2018 - 16º Encontro Latino Americano de Danças, Bruna fará parte da banca de jurados e ainda ministrará os workshop’s de Street Dance e o de Sapateado Americano, que respectivamente acontecem nos dias 2 e 8 de setembro, no Espaço Cultural ‘Giuseppe Verdi’.

Além da contribuição educativa, a ação cultural do Salto Fest Dance 2018 tem caráter transformador, que visa operar mudanças na realidade, criando condições para que os participantes da Mostra Competitiva se tornem multiplicadores da cultura, e, além disso, atuando no processo de cidadania em suas cidades. 

Essa é a missão principal do festival.

9 de novembro de 2017

O Workshop de TÉCNICAS TEATRAIS VOLTADAS PARA BAILARINOS será a novidade do Salto Fest Dance 2018


O teatro, existente desde o século VI antes de Cristo, é uma das partes mais importantes para a dança, principalmente ao ballet clássico. Os bailarinos sobem ao palco para interpretar peças que contam uma história através da dançaMas, para isso, além de belas coreografias combinadas com músicas espetaculares, eles precisam se utilizar de uma boa dose de interpretação. Na verdade, quando o ballet surgiu na Itália e foi, posteriormente, aprimorado na França, ele era um pouco diferente do que vemos atualmente. No entanto, desde aquela época, bailarinos e bailarinas já precisavam utilizar seus talentos interpretativos para dar vida aos personagens das diferentes peças que eram montadas. Quando surgiu, ele envolvia não apenas pessoas dançando, mas também poesiacanto e a participação de uma orquestra. Apenas dançar não era o suficiente. Também era preciso saber cantar e interpretar. É claro que muitos aspectos mudaram bastante no decorrer do tempo e, atualmente, um corpo de baile sobe ao palco essencialmente para dançar interpretando uma história, o que exige diferentes talentos dos bailarinos. Por isso, mesmo com o passar do tempo, teatro e dança começaram a andar juntosÉ por isso que muitos bailarinos, além de se dedicarem a dança, também fazem aulas de teatroexpressão corporal ou interpretação. Precisam desenvolver essas habilidades para poderem representar bem seus papéis dentro das coreografias, demonstrando ainda mais sentimento ao dançar e interpretar seus personagens. 

Aulas de teatro também contribuem para o desenvolvimento da memória devido à necessidade de memorização de falas e, às vezes, de longos textos. Já no ballet, é preciso memorizar passos, sequencias e coreografias, o que pode acabar não sendo tão difícil se o bailarino já possui um cérebro treinado para a memorização. Além disso, as aulas teatrais contribuem para que os bailarinos aprendam a se expressar através do corpo e das expressões faciais, utilizando-as como uma ferramenta de comunicação com o público, e também oferecem a possibilidade de estudar mais sobre diversos personagens e aprender como interpretar suas diversas características. Bailarinos que desejam ser profissionais mais completos devem também se dedicar as aulas de técnicas teatrais. 

Pensando nisso, a Curadoria do Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças contratou o experiente diretor de teatro e também bailarino Carlos Junior Dutra, com formação acadêmica em Teatro pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, também diretor geral da Stepout Escola de Arte, e habilitado profissionalmente em ministrar aulas de teatro, arte e história da arte. Atualmente é professor de Teatro na Faculdade Max Planck, em Indaiatuba.  Tem especialização em Teatro Alemão, Andrea Simma - 2013; Teatro Chileno, Esteban Alvarez - 2013; Ballet Clássico, Viviane Guerrero - 2017; Dança Contemporânea, Viviane Guerrero - 2017; Curso de Palhaço Klaus trupe Koskowisck - 2013; Curso de Teatro Épico de Brecht Fraternal Companhia de Arte e Malas-Artes – 2015; Curso Internacional de Dança Faces Ocultas – 2016 e 2017 e Curso Jazz Lírico com Leandro Peron e Dança Contemporânea com Ana Paula Tavernaro – 2016, para o Workshop de TÉCNICAS TEATRAIS VOLTADAS PARA BAILARINOS, que vai abranger os seguintes tópicos: 1.) Expressão Corporal; 2.) Atuação e interpretação, 3.) Improviso 4.) Expressão vocal  e 5.) Dança Teatro.

As inscrições poderão ser feitas a partir de 15 de janeiro somente pelo site. As vagas são limitadas a 30 participantes por workshop. Inscritos na Mostra Competitiva do Salto Fest Dance 2018 - 16º Encontro Latino Americano de Danças não terão nenhum custo de inscrição. Não participantes da Mostra Competitiva tem um custo de R$ 50 reais de inscrição.

7 de novembro de 2017

Considerações iniciais...


O Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças é um espaço de celebração da dança. Aqui os mais variados estilos e ritmos levam ao público o que há de mais diverso na dança no Brasil e no mundo, isso além de dialogar com as demais expressões artísticas. A cada ano tentamos aprimorar o que deu errado no passado e cada vez mais tentamos ampliar o diálogo com grupos e cias. de dança. 

Na verdade, a razão do Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças existir são vocês. E na medida em que essa conversa se estende, acaba-se descobrindo mais amizades. Nos próximos meses, todos vocês receberão informações de cada passo da edição de 2018. Juntos poderemos construir um festival ainda maior e com maior interação. Acreditamos sempre que nossa união faz a força, e sabemos que qualquer festival, por si só, já é um enorme gesto político. 

Desejamos reunir mais pessoas, permitir novas vivências, promover conexões, estimular a diversidade e democratizar o acesso ao palco para celebrar a dança. Tudo isso num ambiente de seriedade, profissionalismo e serenidade, movimento, alegria e inspiração, valorizando sempre a diversidade. A partir de agora começamos a trabalhar comercialmente o Salto Fest Dance 2018 - 16º Encontro Latino Americano de Danças. É por isso que ao abrir nossa página principal alguns espaços ainda estão vazios. A cada parceria, apoio e/ou patrocínio consolidado a chancela deste novo apoiador começará a aparecer nela.

Seguindo essas premissas, o Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças começou, perdeu seu criador, se reinventou e se reinventa a cada ano, vivendo e celebrando sempre a arte da dança! Um grande dançarino me falou que dançar é tão simples como ler um livro. A alegria da descoberta em cada uma das páginas é como a energia que alcança o corpo e ele se alegra junto com cada passo. 

Isso é a dança!

Agradeço imensamente cada um e cada uma de vocês por acreditarem no Salto Fest Dance - Encontro Latino Americano de Danças. Creiam, ele é cuidadosamente elaborado para que todos possam usufruir de cada momento de alegria que projetamos.